A flutuação dos corpos sob o olhar atento das crianças

Com certeza já foi confrontado com a questão “Porque flutuam uns objetos e outros não?”. A resposta imediata da generalidade das pessoas é “Os objetos pesados afundam e os leves flutuam!”. Cuidado! Esta explicação está errada. Estaremos a criar na mente das nossas crianças conceções alternativas, que mais tarde vão ter que reestruturar. Na verdade, não é a massa dos objetos que determina a sua flutuação, mas antes a relação das forças do objeto (Peso) e do líquido (Impulsão).

O que dizem as Aprendizagens Essenciais (EA) para Estudo do Meio em articulação com o perfil dos alunos para 1.º ano de escolaridade?

As AE referem que “O aluno deve ficar capaz de:

  • Realizar experiências em condições de segurança, seguindo os procedimentos experimentais.
  • Identificar as propriedades de diferentes materiais (Ex.: forma, textura, cor, sabor, cheiro, brilho, flutuabilidade, solubilidade), agrupando-os de acordo com as suas características, e relacionando-os com as suas aplicações.”

Já as ações estratégias a desenvolver na disciplina mencionam a promoção de estratégias que envolvam por parte do aluno:

  • “Formulação de questões-problema;
  • Registo seletivo de ideias prévias, da planificação de atividades a realizar, dos dados recolhidos e das conclusões construídas a partir dos dados;
  • Confrontação de resultados obtidos com previsões feitas;
  • Identificação de alguns fatores que influenciam uma experiência”.

Assista ao nosso vídeo e veja como explicamos aos mais pequenos, de uma forma cientificamente correta, a flutuação.

Esta atividade a que assistiu poderá facultar aos mais pequenos um primeiro contacto com o fascinante mundo da ciência, bem como, com a metodologia do trabalho científico. Recapitule, de seguida, os passos que poderá executar.

Questão-problema

Porque será que alguns objetos flutuam e outros afundam na água da torneira?

Material

  • Recipiente incolor e transparente
  • Prego
  • Rolha de cortiça
  • Moeda
  • Batata
  • Maçã
  • Borracha escolar
  • Esferovite
  • Vela de glicerina
  • Balão com água da torneira

Procedimento

  1. Regista as tuas ideias na tabela seguinte, na coluna “Penso que…”.
  2. Discute com os teus colegas e/ou familiares as tuas ideias e justifica-as.
  3. Coloca cada um dos objetos no recipiente com água e observa o que acontece.
  4. Regista os resultados na coluna “Verifiquei que…”
  5. Retira conclusões.

Registos

Conclusões

Conclui-se que a maçã, a vela, a esferovite, a rolha de cortiça e o balão cheio de água flutuam. O balão com água flutua no seio do líquido. A batata, o prego, a borracha escolar e a moeda não flutuam.

Existem duas forças, o Peso, que é a força do objeto, com direção vertical e de sentido de cima para baixo, e a Impulsão, a força do líquido, de direção também vertical, mas de sentido de baixo para cima.

Portanto, quando o peso é maior do que a impulsão o objeto afunda; quando o peso é menor do que a impulsão o objeto flutua; quando o peso é igual à impulsão o objeto flutua no seio do líquido.

Estas conclusões são válidas para este líquido, que é água da torneira. Num outro líquido os resultados podem ser diferentes! Com efeito, poderá testar o comportamento destes mesmos objetos na água salgada… Fica a sugestão para outra experiência.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *