A importância do Cálculo Mental

Quando aplicado de forma eficaz, o cálculo mental pode trazer imensas vantagens e benefícios para a nossa vida quotidiana. Para que tal aconteça, devemos estimular e desenvolver o cálculo mental, praticando e utilizando diferentes estratégicas. Desta forma, os processos vão, a pouco e pouco, tornar-se cada vez mais naturais.

Assim, e para que os resultados sejam os esperados, é necessário praticar desde cedo com dedicação, paciência e motivação.

 

Cálculo mental

Apesar de não existir uma definição consensual de cálculo mental, é unânime que o cálculo mental é fundamental para o desenvolvimento do sentido de número.

De acordo com Buys (2008), o cálculo mental é caracterizado por:

  • operar com números e não com dígitos;
  • usar propriedades elementares das operações, relações numéricas e combinações entre elas;
  • implicar um bom desenvolvimento do número e um conhecimento dos factos numéricos elementares;
  • permitir o recurso a registos intermédios em suporte de papel.

 

Na verdade, não existem regras específicas a seguir quando estimulamos o cálculo mental. Dependendo da situação, a criança vai decidindo qual o procedimento ou estratégia mais adequados. Assim, o cálculo metal vai possibilitando que ela calcule de forma livre, criativa e sem restrições, permitindo-lhe que aplique algumas técnicas que já conhece e que simultaneamente explore alternativas, desenvolvendo novas estratégias.

 

Orientações curriculares e cálculo mental

O cálculo mental é valorizado na comunidade de educação matemática e tem sido referido nos últimos currículos de Matemática.

De acordo com o Programa de Matemática para o Ensino Básico (DL 139/2012), “é fundamental que os alunos adquiram durante estes anos fluência de cálculo e destreza na aplicação dos quatro algoritmos, próprios do sistema decimal, associados a estas operações. Note-se que esta fluência não pode ser conseguida sem uma sólida proficiência no cálculo mental. Os professores são pois fortemente encorajados a trabalhar com os seus alunos essa capacidade, propondo as atividades que considerarem convenientes e apropriadas a esse efeito.”

Ainda segundo as Orientações de gestão curricular para o Programa e Metas Curriculares de Matemática Ensino Básico, “é fundamental que, durante o 1.º ciclo do ensino básico, os alunos adquiram uma sólida capacidade no cálculo mental e consequentemente uma espontaneidade de cálculo e destreza na aplicação dos quatro algoritmos, próprios do sistema decimal, associados a estas operações.

 

Vantagens do cálculo mental

Enquanto exercita o cálculo mental, a criança cria proximidade com os números e vai estimulando a memória e a concentração. Simultaneamente, a utilização do cálculo mental potencia a capacidade para reconhecer e comparar grandezas, formular estimativas e criticar resultados.

Por todos estes motivos e apesar de não ser uma tarefa fácil, é essencial que se desenvolvam competências de cálculo nas crianças desde o início do 1º ciclo.

 

Na próxima semana, iremos escrever sobre algumas estratégias a aplicar para que o cálculo mental seja um procedimento mais rápido e eficaz. Na procura da forma mais simples de realizar o cálculo mental, as melhores estratégias são aquelas obtidas através da familiaridade com os números, as operações e as suas propriedades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *