O Desenvolvimento da Inteligência Emocional em Crianças com Autismo

O Desenvolvimento da Inteligência Emocional  

O desenvolvimento da criança não se limita apenas ao desenvolvimento das habilidades motoras e cognitivas, mas sim de um conjunto de habilidades. O desenvolvimento da inteligência emocional da criança é uma das habilidades fundamentais para o seu crescimento como ser social.

A inteligência emocional é a capacidade de identificarmos, de compreendermos, de expressarmos e de controlarmos as nossas próprias emoções, mas também de reconhecermos as emoções dos outros.

Reconhecer as emoções, proporciona o desenvolvimento da “empatia” nas crianças, ou seja, desenvolve a capacidade da criança compreender e colocar-se no lugar do outro. Quando a criança aprende a nomear e a reconhecer as emoções, sabe identificá-las não só em si, mas também nos outros.

A linguagem emocional é o primeiro passo para identificarmos e reconhecermos o que acontece no nosso íntimo, de forma a compreendermos os sentimentos e sermos capazes de os expressar. Ajuda-nos também no relacionamento com os outros, permitindo-nos perceber até que ponto as nossas interações os estão a afetar positiva ou negativamente, sendo, por isso fundamental ao processo de desenvolvimento social da criança.

A criança aprende a expressar as suas emoções através da observação e imitação, sobretudo quando o exemplo vem dos pais.

 

A importância da compreensão das Emoções no Desenvolvimento Social

Como vimos, a compreensão e a gestão das emoções são fundamentais para o desenvolvimento e regulação das nossas relações interpessoais. Para além de sentirmos e exprimirmos emoções, somos capazes de reconhecer nos outros as suas emoções, através das expressões faciais.

No entanto, a criança com autismo apresenta dificuldades ao nível da maturidade emocional, comprometendo o desenvolvimento das habilidades sociais. Acima de tudo, não desenvolve naturalmente a capacidade para reconhecer, expressar e gerir emoções, nem reconhecer as emoções faciais das outras pessoas, uma vez que apresenta dificuldades em observar, ou seja, em estabelecer contacto visual com o outro.

Para que a criança consiga reconhecer as emoções através do rosto dos outros, é necessário que conheça o significado de cada emoção.

Por vezes, a criança autista reage de forma desapropriada perante determinada emoção – grita, chora, agride-se a si ou agride os outros – porque não sabe lidar com as emoções, principalmente as desagradáveis.

 

Como ajudar uma Criança com Autismo a identificar as Emoções?

  • Ajudar a identificar as emoções, ensinando o nome de cada emoção e explicar em que consiste. Nesta fase, é importante que se comecem a abordar as emoções mais básicas, como a alegria, a tristeza, o medo, a raiva…
  • Ensinar a lidar com as emoções, principalmente com as mais desagradáveis;
  • Ensinar a superar o desconforto que algumas emoções e sentimentos provocam, sobretudo, a frustração, o tédio, o medo e a raiva, explicando que não há problema em se sentir assim e que todas as pessoas sentem o mesmo.
  • Ensinar a perceber as emoções dos outros;
  • Verbalizar, dramatizando de forma exagerada, as emoções.

 

Como podemos trabalhar as Emoções?

A criança autista consegue aprender rapidamente as expressões de tristeza e alegria, mas pode ter dificuldades com outras emoções e sentimentos mais subtis, como o medo, a frustração, a surpresa, a culpa, a repulsa … Estas emoções podem ser trabalhadas através de várias atividades, nomeadamente:

  • Contar uma história, usando, por exemplo, Fantoches Emocionais. Estes fantoches ajudam as crianças a entender e a expressar as emoções, através das suas expressões faciais. À medida que a história é contada, deve-se conversar com a criança sobre o que as personagens estão a sentir, nomeando e imitando as emoções expressas por cada uma delas.
  • As Bolas das Emoções, ajudam a criança a desenvolver as suas habilidades emocionais, a perceber as características nos rostos de cada uma delas, de forma a identificar cada emoção.

A inteligência emocional deve ser aprendida essencialmente em contexto familiar. No entanto, é principalmente no contexto escolar que a criança com autismo desenvolve as suas habilidades sociais, adquiridas através das trocas sociais com os seus pares, favorecendo, assim, o seu desenvolvimento emocional e social, mas também, o das outras crianças, que aprendem a lidar com as diferenças.

 

3 comentário em “O Desenvolvimento da Inteligência Emocional em Crianças com Autismo

  1. Vera Luciia Pereira dos Santos comentou:

    Adorei conhecer o trabalho desenvolvido pelo Abecedário da Educação . Gostara de saber onde posso encontrar os Fantoches Emocionais e as bolas emocionais !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *